fbpx

5 Dicas para pequenas campanhas eleitorais – Parte 1

1

Na tradição judaico-cristão, uma das passagem mais conhecidas é a vitória de David sobre Golias. David usou inteligência e foco para superar o seu oponente muito mais forte e experiente em batalhas. 

Dessa passagem bíblica é possível tirar um conjunto de lições estratégicas. Para candidaturas pequenas é fundamental adotar a maneira de combate de David: inteligência e foco. 

Independente de qualquer interpretação religiosa, o que interessa nesse caso é o seu conteúdo objetivo. O herói fez a batalha a sua maneira, foi profissional, e por isso venceu um gigante. 

Afirmo que é possível criar uma campanha competitiva mesmo dispondo de poucos recursos e apoio partidário. Tamanho não é sinônimo de amadorismo. 

Porém, quando mais difícil é uma campanha, mas necessário será o planejamento bem feito e uma estratégia viável.

Aqui apresento algumas dicas para melhorar a viabilidade de sua campanha, por meio da segmentação e do foco; e como David, usar a inteligência ao seu favor. 

1 – Otimize seus resultados por meio da segmentação.

Existe uma ilusão que a propaganda de candidaturas vitoriosas necessariamente deve atingir todo o eleitorado do município. Isso não é uma verdade absoluta para candidaturas para prefeito e vale menos ainda para candidatura a vereador. 

É preciso descobrir qual parte (segmento) do eleitorado está mais aberto ao seu perfil e suas propostas. Ou seja, é preciso encontrar o eleitorado no qual a sua  taxa de conversão de votos será mais alta. 

Da mesma forma que é muito difícil vender carne para um vegetariano, é também improdutivo tentar conquistar o voto de quem tem valores e interesses diferentes dos que estão presentes na sua campanha. 

Para evitar o desperdício de recursos, esforços e tempo uma campanha, mesmo pequena, pode se tornar viável; basta encontrar o lugar certo para colher os votos. 

2 – Pesquise sobre seu segmento eleitoral alvo

Então, como achar sua turma? O principal é entender, com o máximo de detalhes possível, o que pensa e sente o segmento eleitoral mais próximo da sua candidatura. 

Para isso você terá de pesquisar. Analise as eleições anteriores, a votação por zona eleitoral de candidatos que defendem propostas parecidas com a sua ou que atuam na suas localidade. Saiba quais são as necessidades do segmento por meio de conversas, pequenas pesquisas na internet, dados do IBGE, etc. 

3 – Crie um personagem que representa o seu eleitor ou eleitora ideal

Depois da pesquisa crie um “eleitor ou eleitora ideal”, um ou mais personagens que representam pessoas que compõem o segmento eleitoral que você tem como alvo. 

Dê nomes, idade, profissão, necessidade, sexo, faixa de renda. E tente descrever as necessidades, medos e sonhos de cada um destes personagens. 

Procurem descrever em especial as “dores”,  que podem ser necessidades econômicas, como emprego por exemplo ou sociais como acesso a algum tipo de serviço público, como educação, saúde, transporte, saneamento. 

Porém as “dores” também podem ser mais profundas, como por exemplo a discriminação e o preconceito. Você terá de descobrir isso por meio da pesquisa, mas procure imaginar e se colocar no lugar do seu eleitorado. 

4 – Crie uma campanha focada no seu segmento eleitoral

O fundamental é que você não precisa do voto de todos para ser eleito, apenas uma parte pequena é suficiente para ter uma votação grande. A maior parte das candidaturas a vereador se elegem como uma porcentagem muito pequena do eleitorado, em média menos de 1% do eleitorado. 

Depois procure fazer discursos, propostas e materiais de propaganda para comunicar, quase que intimamente, como seu segmento eleitoral. 

Quem ver deve sentir que a sua publicidade foi feita apenas para ela. Isso chamará a atenção, e colocará em destaque a sua propaganda em meio às várias outras.

5 – Não se afaste do seu foco

É importante testar seu material é avaliar se ele realmente está atingindo o seu eleitorado potencial, se sentir dificuldade, pergunte para as pessoas, reflita e corrija os problemas. Não desanime nem mude a estratégia no meio da campanha. 

Foco exige disciplina por parte do candidato ou candidata e da equipe de campanha. Depois que você sentir que descobriu o seu segmento,  e este  tem um número de eleitores suficientes para lhe dar a vitória, invista 80% dos seus recursos e esforços neste. 

Para entender mais sobre o foco, assista a aula gratuita sobre o Princípio de Pareto, mais conhecido como Princípio 80/20. 

Vou continuar nos próximos artigos lhe apresentando dicas para ampliar sua viabilidade eleitoral. 

Minha principal missão é ajudar candidatos e candidatas com poucos recursos mas com muita garra a elaborarem estratégias eleitorais competitivas. A política brasileira precisa de mais “Davids” e menos “Golias”. 

Até a próxima!

Pedro Otoni é cientista político, consultor de estratégia eleitoral, autor da Metodologia 3P- Estratégia de Pré-Campanha e sócio da Plataforma Possibilite.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!